As bruxarias do século XXI!


  Suazilândia  1832 visualizações

Eduardo Cidade adicionou foto de Suazilândia Foto 1

Percorrer a Suazilândia, um pequeno reino absolutista perdido no sul da África, é acreditar na força da magia e do pensamento mágico.  Trata-se de um pequeno reino quase sem Internet, pois uma vez que existe apenas uma operadora, os serviços são bem caros. Esqueça, desligue o laptop e aposente o seu celular durante sua estadia para deveras deslumbrar os encantos de um lugar onde o tempo, de fato, passa mais lentamente. 

Lá, não se simplesmente pergunta as horas, a direção ou o quê seja sem uma bela prosa, não é assim que funciona. Porque num país onde para conseguir a permissão ao casamento um homem precisa dar de dote dezessete cabeças de gado à família da futura esposa, o ritmo é bem diferente (e, sim, ter várias filhas é um "negócio lucrativo". Aliás, é bom ter filhos para cuidar do gado e filhas para receber o dote). Não se pode simplesmente chegar e dizer, às pressas, "oi, sabe me dizer que horas são?". 

A vida é mais lenta, em conjunto com o lema popular: "No one is ever in a hurry in Swaziland". 

Eduardo Cidade adicionou foto de Suazilândia Foto 2Se quiser obtever alguma ajuda ou informação, funciona seguindo o protocolo da conversa e da tranquilidade. 

Por exemplo, ao indagar o preço de algo.

"Olá, prazer em conhecê-lo e boa tarde."

"Igualmente prazer. Boa tarde, como vai você?"

"Eu vou ótimo! E você?"

"Vou bem também, obrigado. Então, em que posso ajudá-lo?". 

Só então pergunta-se para onde fica o museu X ou o preço da comida Y etc. Não estou exagerando! Ai de você, pobre estrangeiro, se estiver apressado e tentar burlar as normas de etiqueta! Sua pergunta será ignorada e "reprimida" com um comentário ufanista ao estilo "o dia está ótimo hoje, não acha?"

E eis que numa dessas preguiçosas conversas de anoitecer, na mesa de um bar à luz de fogueira, alguém solta na roda a seguinte pergunta: por que existem os mendigos?

Cada um com o direito a opinar. Alguém mencionou a loucura, responsabilidade individual. Eu foquei no viés sociólogico, da ruptura de um tabu no quesito comportamental, o rompimento de um padrão e o consequente isolamento social, com a quebra das relações de suporte assim como também seria previsto, segundo cada sociedade, manter uma parcela de párias assim como existem as elites etc. E eis que o nativo lançou: bruxaria!

BRUXARIA!

Eduardo Cidade adicionou foto de Suazilândia Foto 3

Sim, porque a crença nos feiticeiros e nos xamãs persiste forte naquele país, com pitadas contemporâneas. É impossível ignorar os textos do Evans-Pritchards, os relatos sobre os Azande e os Nuer, embora seja um risco forte acreditar que pesquisas relacionadas às partes mais ao norte da África durante os anos 30 possam ser diretamente plausíveis ao sul do continente quase um século depois. Ainda assim, não pude deixar de suspirar...

Não se trata mais em provocar a infertilidade de um casal.  Ou mesmo matar as cabeças de gado de um rival para provocar-lhe sua ruína. Soube de uma mulher que levava a reputação de leviana, que saía com vários homens. Agora, amaldiçoada, ela foi obrigada a tornar-se lésbica porque não pode mais seduzir homens. Nenhum homem, por mais em êxtase que estiver durante as preliminares, pode manter seu estímulo sexual ao momento em que a encosta. Por mais que ela tente, seu castigo feitiço é poder ter relações sexuais somente com mulheres (sim, eu perguntei ao meu informante se ele também tentou ter algo com ela e ele disse que, na hora "H", foi impossível. E também ponderei a hipótese disso ser uma bela desculpa da moça poder ser lésbica sem discriminação, no aspecto de "ah, está tudo bem, já que é bruxaria", mas até onde entendi, ela não gosta disso). 

Também soube de um moço adúltero, bastante infiel, que sofreu bruxaria pela sua esposa. Agora, ele pode somente excitar-se com ela e mais nenhuma outra mulher. É tudo magia, bruxaria, nas suas pinceladas contemporênas à la Nelson Rodrigues. 

"Isso dá um artigo para a universidade", pensava enquanto escutava, "é uma mina de ouro!". 

Suazilândia, um dia eu volto!

Eduardo Cidade adicionou foto de Suazilândia Foto 4

Absolutamente amei aquele país, mas apenas digo que tudo tem seu lado negativo e eu não os ignoro.


Deve ser horrível, até para as partes mais cosmopolitas, ser mulher. Soube que tradicionalmente as mulheres não podem comer nem a cabeça e nem os pés dos animais, A cabeça, para que não comam o cérebro e pensem demais e para que não comam a língua e falem demais. Já os pés, é para não fugir do marido! 

Todo homem pode casar com quantas esposas quiser, desde que tenha dinheiro suficiente para arcar as dezessete cabeças de gado por esposa (dinheiro dado à familia desta) e elas não morem na mesma residência. O atual rei conta, atualmente, com mais de vinte e cinco esposas. O rei anterior tinha mais de 75. O príncipe herdeiro não é o primogênito, mas o sobrevivente, à época da morte do rei, a ser filho único de uma das esposas, sem irmãos ou irmãs. 

Fora isso, é um país completamente fantástico!

- - - -

Se você curtiu esse texto, ficaria extremamente feliz se pudesse dar um nele aí embaixo ou compartilhar com seus amigos!

COMENTÁRIOS:

Marcus Berg

Marcus Berg comentou 3 anos atrás

Keep walking, amigo!

Eduardo Wöetter

Eduardo Wöetter comentou 3 anos atrás

Adoro seus relatos. Outro dia passou matéria aqui do maior bungee jump de ponte do mundo logo ali na Cidade do Cabo - África do Sul (http://www.dentrodomochilao.com/2016/07/pulando-do-maior-bungee-jump-de-ponte-do-mundo/)

Camila Pierobon

Camila Pierobon comentou 3 anos atrás

Muito bom...

Caco Bernardes

Caco Bernardes comentou 3 anos atrás

Eduardo, adoro acompanhar seus textos aqui. Que relato! Keep writing, amigo!

José Cidade

José Cidade comentou 3 anos atrás

Muito bom o texto. Vá em frente.

Sua viagem tão sonhada planejada por um Expert de viagem

O Instaviagem.com é uma agência online especializada em planejar roteiros 100% personalizados e feitos sob medida para cada viajante. Você preenche um questionário informando todas as suas preferências e orçamento e recebe uma consultoria de um verdadeiro viajante profissional!

Veja opções de roteiros personalizados para Suazilândia,

PLANEJAR MINHA VIAGEM

SUA VIAGEM COMEÇA AQUI

Dubbi é um novo espaço para que pessoas incríveis que amam viajar possam interagir, se ajudar e compartilhar suas histórias e dicas de viagem.

Junte-se a nossa incrível comunidade de +35.000 de viajantes experts do Dubbi.